Arquivo

Bem vindo ao website de Vasco Luís Curado

A grande narrativa geológica, fóssil e hereditária está a ser construída há milhões de anos. Uma vida humana recapitula o passado da espécie e de toda a matéria viva, actualizado geração após geração. O destino humano individual é uma projecção do devir cósmico e do destino colectivo dos povos. Situações arcaicas, fundamentais e fundadoras, procuram reemergir, novamente postas em cena, o que desoculta ligações entre o individual e o colectivo, o próprio e o alheio, o familiar e o estranho, o trágico e o cómico, o genético e o moral. Os sonhos e as viagens são duas formas episódicas de reencontrar essa inquietante estranheza que, para Schelling, é “tudo o que está escondido, oculto, e que, devendo permanecer latente, se manifesta”. Tais cenários ancestrais mobilizam-nos como actores involuntários dos seus propósitos, fazem de todos nós personagens tragicómicas clássicas, sem um Ésquilo ou um Sófocles que nos escreva. Num fundo vital emotivo e forte, mais verdadeiro, onde pensar é indissociável de sentir, onde projectar é o mesmo que recordar, onde inovar é repetir, onde escrever letras do alfabeto é o mesmo que desenhar pictogramas, onde buscando as origens escavamos o futuro, as coisas reclamam o seu parentesco íntimo e o regresso ao todo global que caracteriza as origens, o antes da separação e da demarcação.

De O Livro Mineral